Artigos

Artigo anterior

O Poder Transformador das Histórias

Desde o início dos tempos, o conhecimento era transmitido de forma oral pelos homens primitivos, em volta do fogo. Era o momento em que a experiência era partilhada e a identidade daquele povo reafirmada. A humanidade depositou nas histórias suas experiências e questionamentos. Através delas, cria-se o elo entre o passado e o futuro, preservando a memória e transmitindo as descobertas de uma geração para a seguinte.

As histórias não só cumprem o papel de entretenimento, mas estimulam a criatividade, provocam sentimentos confortadores e revitalizantes, promovem a valorização pessoal e o retorno à condição de ser humano integrado à sociedade. Através do exemplo e da comparação com as narrativas presentes nos contos de fadas, nos mitos e nos contos modernos, as histórias instigam as pessoas a reverem seus conceitos de vida. São por estas razões que elas são usadas como instrumento sociocultural e educativo-terapêutico.

A Casa do Contador de Histórias nasceu em Curitiba – PR, no ano de 2003, e é uma iniciativa social pioneira no Brasil, fruto da vontade e do expertise de um grupo de contadores. Além de fomentar a perpetuação da arte e celebração das histórias, a proposta da ONG é o autodensenvolvimento contínuo, tanto para o público ouvinte quanto para os contadores, todos voluntários. A missão da Casa é resgatar o ato milenar da contação para ajudar as pessoas a se conectarem aos seus sonhos e ao amor pela vida, despertando a consciência dos valores universais para a construção de um mundo melhor. Suas ações envolvem atividades artísticas, exercícios de habilidade social, cursos e oficinas para formação de contadores, palestras, núcleos de pesquisas e, principalmente, as rodas de contação.

Atualmente, realiza seus trabalhos em onze entidades parceiras, nas quais os voluntários contam histórias regularmente, levando magia às pessoas que necessitam ouvi-las. São creches, asilos, grupos de apoio a portadores de HIV-positivo, adolescentes confinados, crianças com necessidades especiais, casas tutelares e instituições de saúde. Através dos esforços desenvolvidos, são percebidos e comprovados o retorno à condição de ser humano integrado à sociedade, a valorização pessoal e o resgate da alma.

O tronco metodológico principal da Casa apoia-se na Antroposofia e sua relação com a contação de histórias se justifica por trabalhar, simultaneamente, com elementos fundamentais da alma e os processos de sociabilização do indivíduo. Assim como nos ensinamentos antroposóficos, as histórias contemplam o desenvolvimento humano a partir das três esferas principais: o pensar, o sentir e o querer, de modo a dinamizar o entendimento da realidade e beneficiar as condições e as capacidades pessoais. Através de meios diferenciados, busca-se desenvolver as potencialidades humanas para otimizar a qualidade de vida e promover o bem estar social.

Fonte: Assessoria – www.casadocontadordehistorias.org.br

Leia outro artigo da Casa do Contador de Histórias: Uma ação ampliada da saúde através da contação de histórias

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
Próximos Eventos
Loading Images
wpif2_loading
sociocracia-3-0-lab
contabilidade-como-ferramenta-de-gestao
Cadastre-se em nossa lista de emails e receba novidades e informações!